M. Daedalus - POESIA / POETRY
www.mDaedalus.com
neve

O combóio desaparece na margem da manhã.
Uma monótona melodia metálica flutua sobre os carris.
A sua suíça pontualidade encurta um último beijo.
Tempo para um derradeiro olhar a uma janela fugidia.

O breve encontro chegou a seu prematuro fim.
Uma cerimónia de separação demasiado repetida.
O firme vento norte arrasta neve com ele.
O homem queda-se imóvel na plataforma deserta.

O altifalante anuncia a sua própria partida.
Outro país, outro combóio, juntou-os.
Na sua face a neve derrete-se em fria gotículas.
E ele amaldiçoa a agri-doce ironia das ferrovias.
 

M.Daedalus

see also:
  • norte
  • segunda-feira
  • 'blues' de Manila
  • coração frágil
  • Read this poem in English
    Leia este poema em Inglês
    main
    poems in English
    poems in Portuguese
    principal
    poemas em inglês
    poemas em português
    M. Daedalus - POESIA / POETRY
    www.mDaedalus.com