M. Daedalus - POESIA / POETRY
www.mDaedalus.com
ilha secreta

Dia e noite partilhámos os frutos da terra
Pés no mar, acenaste-me adeus por outros lugares
As marés foram e as marés voltaram
Mas estavas por detrás de uma súcia de fronteiras

Numa cidade molhada voltastes a tomar a minha mão
Lentamente dedos elegantes navegaram a minha pele
Mostraste-me uma ilha dentro de um continente

As marés foram e as marés voltaram

O remoto mar reclamou-me uma vez mais
Trouxe o feitiço de Afrodite como meu único tesouro
Protegido numa fazenda da mais terna luxúria

Os mareantes esperaram, os marinheiros desesperam
Amaldiçoando calendários, venerando mapas
Garrafas de devoção são atiradas para as ondas invernosas
As marés foram e as marés voltarão
 

Mikhail Daedalus

see also:
  • apartado de Riga
  • patético
  • entre Birmingham e Manchester
  • príncipe de Sagres
  • Read this poem in English
    Leia este poema em Inglês
    poema anterior
    poema seguinte
    main
    poems in English
    poems in Portuguese
    principal
    poemas em inglês
    poemas em português
    M. Daedalus - POESIA / POETRY
    www.mDaedalus.com